, , , 1097076174234150 574096797044765
 

Dadaísmo


Francis Picabia


Hugo Ball, um poeta e filósofo Alemão refugiado de guerra na Suíça, fundou o Cabaré Voltaire em um bar chamado Meierei.

O cabaré Voltaire era um misto de night club e de sociedade artística onde poetas e artistas jovens eram convidados a expor suas ideias e colaborar, declamar seus poemas , pendurar seus quadros, cantar, dançar, e fazer música.


Em fevereiro de 1916, Ball escreveu sem seu diário:


O lugar estava superlotado; muitos não conseguiam entrar. Por volta das seis da tarde, quando ainda estávamos atarefados , martelando e pendurando cartazes futuristas, apareceu-nos uma representação de quatro homenzinhos de aspecto oriental, carregando telas e portofólios debaixo dos braços e fazendo polidas mesuras repetidas vezes.

Aprensentaram-se : Marcel Janco, o pintor, Tristan Tzara, George Janco e um quarto cujo nome não entendi. Arp também estava presente, e chegamos a um entendimento sem necessidade de muitas palavras.




A partir deste momento um novo movimento se originava, cujo nome nascia como "dadá". O primeiro som emitido pela criança expressa o primitivismo , o começar do zero, o novo em nossa arte.


No ano seguinte, com a inauguração da Galeria Dadá e a criação da revista Dada editada e organizada por Tzara, uma nova temporada dadá eclodiu . Apesar da guerra, exemplares dessa publicação chegaram em Paris.


O dadaísmo foi um movimento essencialmente internacional, dos dadaístas de zurique , Tzara e Janco eram romenos, Arp alsaciano, Ball , Richter e Huelsenbeck, alemães. O movimento não se limitou à Europa, em Nova York , os expatriados franceses Duchamp e Picabia apresentaram , durante a guerra, artigos críticos protodadaístas, 391 e Rongwrong , e Man Ray.


O estado de espírito dadá é bem expresso se compararmos Gift, de Man Ray, um ferro de engomar comum com uma fila de pregos de latão espetados na base,

à ideia de Duchamp para um "Ready-made Recíproco: Use um Rembrandt como tábua de passar ferro."



Marcel Duchamp


Picabia disse: " As únicas coisas realmente feias são as arte e a antiarte.

Sempre que a arte aparece , a vida desaparece. "


" Tendo a falência das ideias destruído o conceito de humanidade até as suas camadas mais profundas, os instintos e os antecedentes hereditários estão agora emergindo patológicamente. Como não existe arte, política ou fé religiosa que pareça adequada para sustar essa torrente , resta apenas a blague e a postura ferina", escreveu Ball.


Os dadaístas continuaram produzindo arte , mas cada um seguindo sua própria direção. Por um lado, havia aqueles com Ball e Arp, que buscavam uma nova arte a fim de substituir o esteticismo gasto e irrelevante ; e , por outro lado, aqueles com Tzara e Picabia, empenhados na destruição pela zombaria, e também preparados para explorar a ironia de sua posição , burlando o público a respeito de sua identidade social como artistas.


Jacques Vaché, que morreu de uma dose de ópio em 1918 sem nunca ter ouvido falar em Dadá, entendeu perfeitamente a ironia deste estado de espírito; "Além disso , a ARTE, é claro, não existe...no entanto : nós fazemos arte - porque assim é, e não de outro modo - Bem - o que é que vocês querem fazer a esse respeito?

"Assim , não gostamos de Arte nem dos artistas (abaixo Apollinaire!) ... De qualquer modo, como é necessário vomitar um pouco de ácido ou de velho lirismo, que isso se faça abruptamente, rapidamente, pois as locomotivas correm velozes."



Arp


O Manifesto Dadá de 1918 de Tzara, agressivo e niilista, assinala realmente o início de uma nova fase para o Dadá. Foi esse manifesto que seduziu Breton e obteve a adesão do grupo Littérature em Paris , e parece ter sido inspirado pela chegada de Francis Picabia , cuja revista itinerante "391" , publicada a partir de 1917 em Barcelona, Nova York, Zurique e Paris, continha os mais virulentos ataques contra praticamente tudo.




Tristan Tzara



"391"


Durante sua breve vida, de 1916 a 1922, o Dadaísmo pregava veementemente o absurdo e a antiarte. Duchamp colocou sua assinatura e um título provocativo em readymades como por exemplo , porta garrafas e pás de neve, e os exibia como obras de arte. Nem mesmo a arte moderna estava protegida dos ataques dos dadaístas; um deles exibia um macaquinho de brinquedo dentro de uma moldura, intitulado Retrato de Cézanne.



Marx Ernst


O Dadaísmo, portanto, não era totalmente negativo. Em sua irracionalidade calculada havia também a liberação, uma viagem às regiões desconhecidas da mente criativa. A única lei respeitada pelos dadaístas era a do acaso ; e a única realidade , a de sua própria imaginação.




13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo